Policiais civis são presos por corrupção e lavagem de dinheiro

Share this...
Share on Facebook0

Três policiais suspeitos de pedir dinheiro para entregar produtos roubados são presosA Polícia Civil de Pernambuco deflagrou na manhã desta quarta-feira, dia 29 de novembro, a Operação “Bis In Idem” com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que conta com a participação de policiais da própria corporação. De acordo com as investigações, os suspeitos cometeram crimes como corrupção passiva, lavagem de dinheiro e receptação qualificada.

Foram cumpridos quatro mandados de prisão, três policiais civis foram presos, nesta quarta-feira, no Agreste de Pernambuco, montaram o esquema de extorsão a vítimas de roubos de veículos há pelo menos um ano. Atuando no plantão da Delegacia de Caruaru, eles deixavam de registrar oficialmente os crimes para obter ganhos financeiros, segundo os investigadores. Os três foram autuados por corrupção e lavagem de dinheiro. (Veja vídeo acima)

Os três policiais civis presos, nesta quarta-feira (29), no Agreste de Pernambuco, montaram o esquema de extorsão a vítimas de roubos de veículos há pelo menos um ano. Atuando no plantão da Delegacia de Caruaru, eles deixavam de registrar oficialmente os crimes para obter ganhos financeiros, segundo os investigadores. Os três foram autuados por corrupção e lavagem de dinheiro. (Veja vídeo acima)

No balanço preliminar da Operação Bis In Idem, o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito do Amaral explicou que, de maneira ilegal, os policiais recuperavam bens e faziam cobranças em dinheiro para executar a devolução aos proprietários.

“Fomos procurados pela primeira vítima há cerca de um ano. Mas acreditamos que o esquema pode ser mais antigo, por causa da quantidade de bens sequestrados a partir de determinação judicial”, observou.

Foram cumpridos quatro mandados de prisão, um de condução coercitiva contra um policial militar e 11 de busca e apreensão, em Caruaru, Gravatá e Garanhuns. A ação foi coordenada pelo Grupo de Operações Especiais (GOE), no Recife.

 

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/JC Online